Beira

Processo de concepção
O nosso processo de produção propõe que o usuário veja as nossas peças de frente e do avesso, deixando que a costura o guie no entendimento da construção das peças. No início chamávamos as roupas de unissex, porque elas são verdadeiramente desenhadas tanto para o corpo masculino como para o feminino. Agora estamos caminhando além desta definição, num movimento de aproveitar a versatilidade das nossas peças. Assim, existem nas roupas passagens escondidas dando ao usuário a possibilidade de dar-lhes diferentes significados. Nossas coleções não são determinadas para estações do ano como inverno ou verão. O usuário decide. Cada modelo e cores novas lançados dão continuidade à primeira coleção desenvolvida. Nosso intuito é contar uma história, aprofundar em uma linguagem e valorizar o tempo num processo criativo contínuo. Nos resumimos a uma única coleção, infinitamente.


Contexto
A cidade do Rio de Janeiro representa um local de pertencimento para a marca, onde desafios e oportunidades modelam os pilares do desenvolvimento dos produtos. Nesse sentido, os desafios instigam e perpassam pela complexa trajetória nacional.


Estação
Nossas roupas são desenvolvidas para darem seguimento de uma coleção para outra. Nesse sentido, ela é crescente por estar dentro de um mesmo conceito. Cada novo modelo e cor dão continuidade ao que foi lançado anteriormente.


Equipe
Somos uma pequena equipe, onde cada pessoa tem grande participação na construção da marca, fazendo com que os produtos carreguem a atmosfera de troca e construção conjunta. Compartilhar memórias e se manter forte é o propósito principal deste processo que agrega a experiência profissional de cada integrante da equipe.


Tecidos
Os tecidos merecem destaque à parte. Usamos fibras naturais de alta qualidade em todas as coleções. A maioria deles é 100% seda ou 100% algodão, com fornecedores principalmente nacionais.
Nesse sentido, a busca por diferente texturas, tecidos e cores fazem parte do processo cotidiano para o desenvolvimento das peças. Assim, introduzimos novas matérias primas como a seda ecológica: tecelagem artesanal produzida com processos de reaproveitamento de casulos de bicho-da-seda rejeitados.


Modelagem
Nossas modelagens são investigações ligadas às funcionalidades das peças, que falam de volume e construção, equilibrando formas tradicionais com detalhes minuciosos tornando-as discretas e instigantes. Nossas peças sugerem tempo para serem observadas e experimentadas. Os detalhes de modelagem são fundamentais para a concepção de cada uma e, por isso, incentivamos o uso de cores monocromáticas.


Uso
O termo genderless é usado para simplificar o entendimento de que as peças de roupas são feitas para serem usadas tanto em homens quanto em mulheres. Por isso, a Beira pode se considerar feminina e masculina. Mas há nesse termo dois lados: O positivo, onde mais pessoas passam a prestar a atenção de que na verdade qualquer roupa pode ser usada por ambos. E o negativo, onde o termo subtrai a naturalidade do uso. Acreditamos que estamos caminhando para além desta definição, num movimento de aproveitar a versatilidade das peças.


BEIRA
O maior desafio da marca é conseguir fazer com que as roupas falem por si só.
Beira pode ser lida como um local de transição e significa “entre” em português.
Assim funcionamos: com uma equipe pequena, coleções lançadas duas vezes ao ano e produtos desenhados tanto para homens quanto para mulheres, com peças que buscam dar seguimento a um movimento crescente e relacionado criando diálogos entre coleções.